Alguns Amores e Café Preto

16/07/2018
Chega uma altura da vida em que nos pegamos pensando em tudo que já vivemos em relação ao amor nessa jornada que chamamos de vida. Pensamos em todas as noites em claro pensando naquela pessoa meiga e atenciosa que conhecemos naquele dia. Pensamos nas noites em claro chorando por aquela que simplesmente resolveu que era hora de ir embora mesmo que não tivéssemos prontos para tal separação. Engraçado isso. Se pararmos bem para pensar é sempre assim nunca estamos prontos para uma separação seja ela amorosa, familiar ou de amizade...o que não deixa de ser amor não é mesmo? 

A verdade é que tenho gastado algumas horas em meio a xicaras de café preto pensando e analisando onde foi que tudo teve seu fim. Quantos amores eu vivi, ou acreditei ter vivido enquanto na verdade não era bem isso que se passava naquele momento. Café preto. É o que tem me movido nesses dias pensativos, como combustível para um carro. Há folhas pela casa. Andei escrevendo sobre eles. 

Sobre os amores que já encontrei. 

Sobre os meios. 

Sobre os caminhos. 

Sobre os desvios. 

Sobre o fim. Escrevi sobre todos eles. 

Mais um dia começa e eu estou aqui novamente com minha xicara e um novo pensamento em minha mente, um pensamento sobre o futuro. Sobre o que devo fazer e sobre onde não devo errar novamente. Porque é sempre assim, sempre nos culpamos por algo que não deu certo, mesmo que tenhamos feito tudo que estava ao nosso alcance. 

Sempre parece pouco. 

Sempre parece que deixamos que a outra pessoa escape por entre nossos dedos como água quente apanhada no velho bebedouro do metro. Verdade seja dita, quando se trata de amor nunca sabemos bem o que fazer ou como agir, apenas seguimos o fluxo na esperança de que dessa vez...pelo menos dessa vez, tudo finalmente dê certo.

Quem é você, Alasca?, John Green

11/07/2018
Sinopse - "Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez"."


Titulo - Quem é Você, Alasca?
Autor (a) - John Green
Editora - WMF Martins Fontes
Paginas - 240
ISBN - 9788578273422
Adicione no Skoob
❤❤❤❤❤





Eu não poderia deixar de falar sobre esse livro, não unicamente pelo fato de ser uma história instigante e apaixonante, mas também pelo fato de nos fazer pensar e entender os "como" e "porquês" de algumas coisas acontecerem em nossas vidas e de "como" e "porquês" de não acontecerem, o que me levou a acreditar que todos temos nosso "labirinto particular", do qual não sabemos como sair as vezes.
Para começar esse é o primeiro livro de John Green que eu li, não eu não me rendi as suas "estrelas", não pelo fato de não ter tido oportunidade, mas pelo fato de não sentir vontade, devido a tantos spoilers existentes em cima dessa obra, pode parecer bobeira, mas A Culpa é das Estrelas não é um livro que esteja na minha pequena lista de espera, quem sabe daqui a alguns anos, é eu disse anos, não me entendam mal, mas é que realmente não sinto vontade de ler esse livro, mas voltando ao assunto, em vez de fazer uma resenha e dar inúmeros motivos para lerem o livro, claro que quero que todos leiam, eu vou responder a algumas das indagações que a Culver Creeck nos propõe ao decorrer do livro. Vamos fazer isso ao estilo Miles Halter.
(1) o "sair de casa" muda completamente as pessoas, incrível como uma busca pelo seu "grande talvez" pode parecer tão fácil e tão complicado ao mesmo tempo, as pessoas mudam, nós mudamos e custamos a enxergar isso, corpo forte, mente fraca pode te derrubar, princípio número 01: tenha foco e não se isole, sozinho ninguém faz nada, (2) pessoas tem dias bons e ruins, acima de tudo saiba levar em consideração e tenha paciência, por que mesmo que não perceba você também é assim, (3) existem duas saidas do labirinto, uma pode ser "rápida e diretamente", mas acredite essa não é a melhor opção, a outra requer uma longa jornada com uma bela praia na saída, cabe a você decidir, mas acredite os dias baixos não são os que comandam sua vida, então na hora de escolher lembre-se também dos dias de luz, (4) o "vem depois da morte" eu definitivamente não sei e quando chegar a hora de eu descobrir não poderei a contar a vocês, mais saibam que são questões como essas que movem a humanidade, sempre em busca dos "porquês", então é de suma importância saber que a ciência e a religião nem sempre explicam tudo, principalmente o "depois".
(5) amigos valem muito, mas o que você faria por eles? E o principal o que eles fariam por você?, (6) a perda parece beijos na bochecha perto do seguir em frente, essa sim se torna a parte mais difícil e você realmente só conhece a verdade das pessoas nessas horas, (7) os trotes podem ser sua glória e sua ruína, esteja por dentro do regulamento, (8) nem todos os asiáticos são gênios, alguns apenas se contentam com um Malboro Light e uma garrafa de vinho, (9) por mais difícil que seja, nem todas as promessas serão cumpridas, aprenda a superar e a não esperar, o segundo seguinte é incerto e (10) cada um coleciona o que acha necessário, há quem decore o mapa múndi e há quem colecione últimas palavras e para o "homem das últimas palavras" eu apenas diria "a vida é uma equação sem resultado exato e mesmo que isso fosse ensinado na aula de pré-calculo, duvido que até mesmo Alaca Young fosse capaz de aprender."
Quem é você, Alasca? nos traz uma leitura com uma mistura do clichê com o inusitado, com um alto grau de filosofia, nos põe entre o cotidiano e a explicação, a busca inquietante do ser humano em desvendar os "como" e os "porquês" sem perceber que o não saber as vezes é a melhor opção, mas ao mesmo tempo no mostra que o que você faz por alguém demonstra o quanto se importa com ela, seja amigos, família ou amores. Com uma dose alta de humor John Green nos mostra que somos responsáveis por aquilo que fazemos, que certas coisas nos marcam para sempre e que no fim tudo "desmorona".
















Acima de tudo o livro é apaixonante, uma leitura que te prende do inicio ao fim, acreditem, não há como não se apaixonar por seus personagens, um dos melhores livros de John Green? Talvez, mas um dos melhores que li, com certeza, pode parecer meio confuso, mas busquei uma forma de não dar spoiler e como eu disse não sou muito boa com resenhas, para mim é simples não é só de conteúdo que se faz um livro mas também de essência.

[H.P.]:A Magia Negra Por Trás Dos Black

09/07/2018



Como todos sabem sou portterhead assumida e não me envergonho disso, logo, visando resgatar minha coluna sobre esse mundo mágico e maravilhoso que encanta o coração de fãs pelo mundo inteiro eu resolvi trazer algumas curiosidades que eu encontrei pelo Pottermore a fora (para quem não sabe o Pottermore é uma plataforma criada pela J. K. Rowling repleta de contos, curiosidades e muito mais sobre o universo de Harry Potter). Para começar que tal conhecer um pouco mais sobre os Black, uma família de bruxos puros que tinha tudo para ser uma das mais tradicionais se não fossem seus conflitos internos e o enraizamento de alguns membros com a magia negra e com o Lord da Trevas, Voldemord. Mas por favor tenham em mente que nem todo bruxo é mau e que sua casa em Hogwarts ou família não determina quem você será.

A magia e as palavras estão inextricavelmente entrelaçadas, criando os feitiços que inspiram, inflamam e transformam o mundo mágico. Faz sentido que os nomes daqueles que habitam este mundo tenham histórias ricas e significados em camadas. E, em particular, aqueles que habitam a árvore genealógica Black, uma família conhecida como tão pura que faz parte do Sacred Twenty-Oight de Salazar Slytherin. Desejamos saber mais sobre os ramos trançados da família Black, mas talvez possamos cavar um pouco mais fundo em seus personagens, graças a seus nomes incomuns.

Sirius Black


Um dos poucos de sua família que conseguiu escapar da escuridão e da loucura, Sirius Black conseguiu seu nome de muitas maneiras maravilhosas. Na astronomia, Sirius é a estrela mais brilhante do céu noturno da Terra e o nome vem da palavra grega antiga 'Seirios' que é traduzida grosseiramente para 'incandescente' ou 'Scorcher'. Não só o padrinho de Harry brilhou com suas crenças e compromisso com o bem, mas ele também teve um temperamento particularmente forte. Alguém mais se lembra de quantas lutas ele teve durante a vida de Harry? Outro nome para Sirius é o Dog Star. Quão fabulosamente apto é esse? A etimologia da palavra Sirius como cão é uma que é realizada em várias culturas, todos o vê como protetor e vigia, e cada uma delas marca a caixa que compõe esse herói mágico notável. O que é realmente interessante é que os egípcios não enterravam seus mortos no período de 70 dias, quando o sol se alinhava com Sirius. Acreditava-se que Sirius era a porta da vida após a morte e que, nesse período de escuridão, a porta estava fechada. Vamos apenas pausar por um momento quando o significado disso se afunda. Como Sirius morreu? Ele atravessou a porta com um link para a vida após a morte. Sirius também foi associado à destruição, visto como um sinal de que coisas ruins estão por vir. Um fato confirmado pela chegada de Sirius à vida de Harry - quando ele entrou, assim como a ascensão de Voldemort ao poder realmente começou. Na Ilíada , Homer descreveu Sirius assim:
Sirius se levanta no céu escuro e líquido 

Nas noites de verão, estrela das estrelas, 

o Cão de Orion o chamam, mais brilhante 
De todos, mas um presbítero maligno, trazendo calor 
E febre à humanidade sofrida. 
Regulus Black



A palavra Regulus tem uma história fascinante. Na terminologia romana, Regulus é o diminutivo de Rex, que significa "pequeno rei" ou "príncipe". Se olharmos a história da família Black, isso descreve a forma como o Regulus foi tratado durante a maior parte de sua vida. Ele acreditava na superioridade da linhagem Black e, finalmente, se juntou a Voldemort como um dos Comensais da Morte e isso deixou seus pais incrivelmente orgulhosos. Regulus também foi usado na frase "regulus of antimony" porque era tão fácil de combinar com o ouro. Sirius disse que Regulus era "suave o suficiente para acreditar neles" - 'eles' sendo seus pais e sua mania de sangue puro que eles efetivamente sentiram tornaram-se a realeza dos bruxos. Regulus no mundo mágico poderia ser facilmente descrito como o pequeno príncipe que foi enganado pelo brilho que não era ouro. O ouro também é um dos metais mais macios. Regulus também é um nome de outra das estrelas mais brilhantes do céu conhecido como Alpha Leonis. A tradução de Ptolomeu é a "estrela no coração de Leão" e um analista acredita que a palavra Regulus em árabe significa "pata do leão". Foi preciso muita coragem para Regulus beber as águas venenosas que protegiam a Horcrux de Voldemort e dar a vida por um elfo de casa . E, no entanto, é exatamente isso que ele fez. O coração de um leão.

Bellatrix Black


Poucos nomes são tão odiados quanto o de Bellatrix Lestrange Née Black. Ela era uma das principais tenentes de Voldemort, uma guerreira sem coração, deixando para trás uma série de mortes. Ela era, em todos os sentidos da palavra, fiel à etimologia de seu nome - Bellatrix. É a forma feminina da palavra 'bellatricus' que é latino para guerreiro e também é o nome dado a uma estrela azul e eruptiva na constelação de Orion. Na maioria das descrições, Bellatrix, a estrela, é descrita como a que fica no ombro esquerdo de Orion - um lugar bastante perfeito para um segundo tenente de Voldemort, você não acha? O próprio Orion é descrito como um caçador gigante ou o Deus da guerra. Em muitas culturas, ele é visto como um gigante, com os irlandeses chamando-o de Caomai ou "o rei armado". O que é interessante sobre a estrela, Bellatrix, é que também não é consistente. Ele tende a variar em tamanho - raramente é consistente em seu brilho. Se alguém lutou para ficar nivelado e consistente, foi Bellatrix Lestrange. Bellatrix, a estrela, é vista como um bom presságio para as mulheres que nasceram sob seu signo. Thomas Hood, o poeta inglês, disse que "as mulheres nascidas sob esta constelação terão línguas poderosas". Quando consideramos as palavras que Bellatrix falou com a língua, ela era apenas isso - poderosa. E bastante terrível.

Narcissa Black


Narcissa era a irmãzinha de Bellatrix e outra que aderiu às visões negras de pureza e raça. Enquanto Narcissa nunca realmente fez nada particularmente maligno, ela não saltou exatamente e faz qualquer coisa de qualquer tipo. Ela tendia a andar de volta com "esterco sob o nariz", fazendo comentários vagamente desagradáveis ​​e acenando sua varinha em momentos devidamente desagradáveis. Foi apenas no final quando ela fingiu que Harry estava morto e salvou sua vida que fez algo extraordinário. Mas mesmo assim, sua decisão foi motivada pelo egoísmo e um amor único por seu filho . Essa falta de nível é muito uma parte do significado de seu nome, que é de origem grega e significa "sono" ou "entorpecimento". É o nome feminino do infame Narciso - o personagem da mitologia grega que se amava tanto que, quando ele pegou seu reflexo no rio, olhou para si mesmo até morrer. Imagine ter um nome tão negativo onde as únicas escolhas que você tem em relação a isso são ser tão chato quanto poeira ou completamente apaixonado por você mesmo? Narcisa conseguiu manter o fim do acordo, entorpecimente seguindo seu marido,enquanto ele seguia de um erro estúpido para o próximo." 

Esse é um pouca da historia por trás dos nomes mais conhecidos da família Black, espero que gostem e me digam se querem mais curiosidades sobre esse mundo magico por aqui.

Nox!

Via - Pottermore

Séries Europeias Que Você Precisa Conhecer

05/07/2018


Eu sou a louca das séries e vocês sabem bem, mas desde que conheci Skam no inicio do ano tenho me aventurado por produções que não sejam norte-americanas, para ser mais preciso ando me aventurando pelas produções europeias tanto em relação a filmes quanto em relação a séries e bem é sobre elas que vim falar hoje. Com já faz um boooooooom tempo que não posto por aqui o que venho assistindo resolvi unir o útil ao agradável e fazer um top das séries que venho assistindo e aproveitar para indicar há vocês produções europeias que valem a pena dar uma espiadinha, vamos a listinha.


As Aventuras de Merlin


A primeira da lista não poderia ser outra senão, Merlin. Já devo ter maratonado essa série umas três vezes, conheço ela já faz alguns anos. Lançada em 2008 e finalizada em 2102, a produção britânica As Aventuras de Merlin conta a história de Merlin (Colin Morgan) e Arthur (Bradley James) antes de eles tornarem-se mitos, quando ainda eram jovens loucos por aventuras. À procura do amor e dos próprios destinos, eles compartilham os erros e os acertos ao longo do caminho. A série é do estilo medieval e conta história da evolução de Merlin, Arthur e o Reino de Camelot. Eu nunca perco a oportunidade de indicar essa serie principalmente para quem amo histórias mitológicas.

Dark


Lançada em 2017 pelo Netflix a produção alemã tinha tudo para ser um sucesso, e foi. A série conta a história de quatro diferentes famílias que vivem em uma pequena cidade alemã. Suas vidas pacatas são completamente atormentadas quando duas crianças desaparecem misteriosamente e os segredos obscuros das suas famílias começam a ser desvendados. Um paradoxo do tempo e da ficção cientifica a série conquistou o publico e ganhou sua 2ª temporada que deve ser lançada em meados de 2019, confesso que fiquei um pouco confusa por um tempo com todo aquele dilema do tempo mas logo peguei a ideia da serie e me encantei por ela e já estou ansiosa pela lançamento da segunda temporada.

Le Chalet


Lançada em 2018, Le Chalet é a uma produção francesa com uma pegada se suspense e terror que prometeu...e cumpriu devo dizer, a trama conta a história de um grupo de amigos que vai passar as férias em um chalé remoto nos Alpes franceses e é apanhado numa armadilha fatal quando um segredo do passado é revelado, pensa numa série que me deixou chocada com o final minha gente. Ela na verdade é uma mini série com apenas 6 episódios mas que vale super a penas, já adianto que o desfecho é sensacional.

The Rain
Lançada em 2018 pelo Netflix, The Rain é uma produção dinamarquesa que você precisa conhecer. Seis anos após um vírus brutal ter massacrado quase que toda a população da Escandinávia, dois irmãos dinamarqueses decidem sair da segurança de seu búnquer para verificar o que se passa do lado de fora de sua fortaleza. Em meio aos escombros, eles encontram um grupo de jovens sobreviventes e juntos irão até o fim para encontrar uma única esperança de uma vida melhor.

Eu ando muito nessa vibe européia e gente o que são esse sotaques, muito amor,não? Se já conhecem alguma me contem aqui e se você ainda não assistiu nenhuma dessas corre já para maratonar.

Mal feito, feito!

Sobre a Vontade de Não Fazer Nada.

28/06/2018
A verdade é que a vida me dá uns tapas de vez em quando, mas como dizem por ai "quem nunca?". Tenho passado muito tempo olhando pro nada sem vontade de fazer algo produtivo e isso para ser bem sincera me deixa um tanto desconfortável, um exemplo claro é só olhar o tempo entre as postagens que dá para perceber o quanto fiquei fora daqui. Muitas pessoas já me perguntaram porque continuo com o blog em pleno 2018 uma era onde poucas pessoas tiram seus olhos dos feeds das redes sociais para ler ler um bom texto, ao até mesmo um bom livro...a verdade é que não sei. Gosto muito desse cantinho que tenho por aqui e sei que não importa o tempo que passe fora ele sempre estará aqui me esperando ansiosamente.

Sinto que já não escrevo mais como antes, sejamos sinceros, sinto que já não escrevo mais. Fico relendo textos antigos e perguntado onde me perdi e deixei de ser quem eu era ou quem eu gostaria de ser. Ainda quero uma aposentadoria como escritora - eu sei doideira - mas não me vejo fazendo muito para chegar lá. Já tentei inúmeras vezes colocar minha lojinha de manualidades no ar, mas ela nunca vai para frente, sempre me perco em algum momento e acabado deixando tudo de lado. Passei dias sem ouvir uma unica canção, o que é uma loucura já que musica é o que me inspira na maioria das vezes. A faculdade? Ah...bem terminei esse semestre aos trancos e barrancos, no limite das faltas, mas empurrando o máximo que dava para simplesmente não desistir mais uma vez.

No fim percebo que tenho muito dessa de sumir de vez em quando ou de querer apenas procrastinar. Sinceramente sinto aqui dentro que ainda não achei meu lugar de verdade, é como se eu estivesse ando em círculos sem saber para onde ir e tudo simplesmente não fizesse sentido...ou quem sabe apenas não me permito ficar de verdade, por medo do futuro ou apenas por não me identificar com nada. MEDO. Esse sentimento tem me acompanhado bastante nos últimos tempos e como sempre fui uma pessoa que não age sem pensar talvez seja por isso que ando tão estagnada, deixei o medo tomar conta de mim.

Aos poucos toda rotina vai voltando ao normal, mas sei que não volto a ser quem eu era, as pessoas continuam me desapontado e apesar de ter deixado de me importar muito com isso sinto que vou me fechando cada vez mais para novas pessoas, para não ser desapontada novamente. Tudo começa a caminhar. Novos projetos surgem. Novas oportunidades. E eu me sinto lutando novamente, na esperança de não deixar que o medo tome conta e tudo não sai mais do lugar.

Filmes Para Curtir no Domingo #1

25/06/2018






Tenho andado bem devagar com a minha rotina, ela está quase extinta sejamos sinceras. A verdade é que o bichinho da falta de vontade picou tão fundo que não sei ao certo quando voltarei ao normal, um exemplo disso é um texto falando sobre "a vontade de não fazer nada" que venho tentando escrever a dias e as coisas simplesmente não saem. Simples assim. Mas o foco do post não é esse na verdade, essa foi só uma pequena explicação meu sumiço, today vamos falar sobre filmes. Esse domingo deixei um pouco a procrastinação de lado e fui curtir aquele filminho gostoso que as tardes de domingo pedem e como resultado me empolguei tanto que virei a noite vendo filme e a segunda está sendo puxado por aqui - preciso parar de ser 8 ou 80 - enfim, resolvi trazer um resuminho deles para vocês nesse formato de "filmes para curtir" e bem espero que gostem, agora chega de delongas.



Love, Simon
Sinopse - "Aos 17 anos, Simon Spier (Nick Robinson) aparentemente leva uma vida comum, mas sofre por esconder um grande segredo: nunca revelou ser gay para sua família e amigos. E tudo fica mais complicado quando ele se apaixona por um dos colegas de escola, anônimo, com quem troca confidências diariamente via internet."
A verdade é que me surpreendi com esse filme, ele tem uma pegada muito suave e um pouco cômica, apesar de abordar um tema tão falado nos últimos tempos o que o diferencia dos outros é o fato do "livre arbítrio" quero dizer, eles buscam entender o porque "se assumir" se encaixa apenas para algumas pessoas e não para todas, e porque as pessoas tem que determinar quando devemos expor algo que é nosso, isso não somos nós quem devemos decidir?

Forever My Girl
Sinopse - "Astro do futebol americano, o quarterback Liam (Alex Roe) estava pronto para se casar com Josie (Jessica Rothe), sua namorada da escola, mas acabou deixando-a no altar para seguir carreira de cantor country. Depois de muitos anos, ele retorna à cidade como um cantor famoso."
Esse é aquele tipo de filme que te faz chorar no final já vou logo avisando, ele é daqueles que tem aquele amor avassalador que supera os anos e os desencontros sabe? Mas que no final acaba tudo dando certo.

Jogador Nº 1
Sinopse - "Num futuro distópico, em 2044, Wade Watts (Tye Sheridan), como o resto da humanidade, prefere a realidade virtual do jogo OASIS ao mundo real. Quando o criador do jogo, o excêntrico James Halliday (Mark Rylance) morre, os jogadores devem descobrir a chave de um quebra-cabeça diabólico para conquistar sua fortuna inestimável. Para vencer, porém, Watts terá de abandonar a existência virtual e ceder a uma vida de amor e realidade da qual sempre tentou fugir."
Eu não sou muito ligada em vídeo game devo confessar mas adoro um efeito especial bem elaborado e esse filme tem aos montes, uma aventura distópica em meio a avatares e busca por jóias mágicas que podem te deixar rico, quem não gostaria de tentar?

Every Day
Sinopse - "A tem o incrível poder de acordar todos os dias em um corpo diferente, independente de gênero, cor ou idade. E deve se adaptar a seu novo corpo, ainda que somente por um dia. Mas sua triste rotina muda quando acorda no corpo de Justin e acaba se apaixonando pela namorada dele, Rhiannon (Angourie Rice)."
Em primeiro lugar gostaria de deixar registrado que preciso ler esse livro porque aquele final foi inaceitável - risos - mas voltando ao foco pensa num filme gostoso de se assistir e que ao mesmo tempo que te deixa agoniada te aconchega o coração, pois bem Every Day ou Todo Dia é esse tipo de filme, como reviravoltas surpreendentes e que faz sua curiosidade sobre A aflorar.

O Plano Imperfeito
Sinopse -"Harper (Zoey Deutch) e Charlie (Glen Powell) trabalham como assistentes para dois executivos em Manhattan. O temperamento e a dinâmica de seus chefes transformam suas vidas em um verdadeiro inferno. Desesperados e exaustos, os dois jovens se juntam para elaborar um plano um tanto quanto ousado: fazer com que os seus superiores se apaixonem e, dessa forma, fiquem mais tranquilos em relação ao trabalho."
Esse é aquele tipo de filme em que tudo que eles tentam gira ao contrário e que no final percebemos que o foco era outro completamente diferente, com uma pegada bem cômica a história faz você se encanar pelos personagens principais e querer eles só para você

Alex Strangerlove
Sinopse - "Alex Truelove (Daniel Doheny) é um aluno exemplar do último ano do Ensino Médio. Ele tem um grande futuro pela frente, mas antes de se formar ele quer alcançar o último marco da adolescência: perder a virgindade com a sua namorada, Claire (Madeline Weinstein). Tudo se complica quando ele conhece Elliot (Antionio Marziale), um charmoso menino gay que sem querer põe Alex em uma jornada de autodescoberta."
Gente pensa num filme amorzinho, sabe amorzinho do amorzinho? Então é esse filme, como uma pegada suave e cômica ele trás a história de uma adolescente que se descobre gay após encontrar seu primeiro amor nos cachinhos do fofo Eliot, que eu queria para mim que fique a dica.

Bem amores e amoras essas foram minhas dicas de filmes para domingo a tarde, me contem aqui se conhecem algum desses filmes e claro o que acharam também. Um bejujuba para vocês.

Com amor, Luciana.