Filmes Pra Curtir no Domingo #2

13/08/2018


A verdade é que não ando assistindo muito filme, piorou séries, acho que deixei a rotina me consumir e não encontro mais aquele tempinho legal para ver os filmes que tanto amo. Mas nesse fim de semana eu coloquei alguns que estava na listinha a algum tempo em dia e trouxe aqui para vocês conferirem, apesar de ter certeza de que vocês já viram eles.
UM LUGAR SILENCIOSO
Sinopse - Em uma fazenda dos Estados Unidos, uma família do meio-oeste é perseguida por uma entidade fantasmagórica assustadora. Para se protegerem, eles devem permanecer em silêncio absoluto, a qualquer custo, pois o perigo é ativado pela percepção do som.
Gente pensa num filme agoniante? Eu estava louca já haha acontece que o filme é muito silencioso e tudo acontece muito do nada, a mulher esta gravida e eu ficava pensando o tempo todo o que aconteceria quando o bebe nascesse porque eles fazem barulho, mas...vou deixar vocês descobrirem sozinhos. O filme é sensacional e tem muitas referencias, valeu a pena e gostaria que tivesse uma continuação.
DEADPOOL 2
Sinopse - Quando o super soldado Cable (Josh Brolin) chega em uma missão para assassinar o jovem mutante Russel (Julian Dennison), o mercenário Deadpool (Ryan Reynolds) precisa aprender o que é ser herói de verdade para salvá-lo. Para isso, ele recruta seu velho amigo Colossus e forma o novo grupo X-Force, sempre com o apoio do fiel escudeiro Dopinder (Karan Soni).
Como vocês sabem eu não sou muito ligada no universo Marvel e DC então esses filmes não fazem muito meu estilo, mas assisto por causa dos efeitos especiais e tudo mais. Acho o Deadpool bem engraçado e um tanto baixo nível haha mas adoro essa mistura de ficção realidade que ele faz e sem dúvidas não poderiam escolher outro ator melhor do que Ryan Reynolds.
RAMPAGE
Sinopse - Davis Okoye é um primatologista (Dwayne Johnson), um homem recluso que compartilha um vínculo inabalável com George, um gorila muito inteligente que está sob seus cuidados desde o nascimento. Quando um experimento genético desonesto é feito em um grupo de predadores que inclui o primata, os animais se transformam em monstros que destroem tudo em seu caminho. Agora Okoye tenta conseguir um antídoto e impedir que seu amigo provoque uma catástrofe global.
Adora filmes com essas pegadas cientificas e com esses bichões enormes acho que faz uma diferença bem legal, o filme é sensacional e a produção está incrível, essa pegada cômica entre o personagem do Dwayne e o Gorila deixa tudo mais envolvente.
VINGADORES: GUERRA INFINITA
Sinopse - Thanos (Josh Brolin) enfim chega à Terra, disposto a reunir as Joias do Infinito. Para enfrentá-lo, os Vingadores precisam unir forças com os Guardiões da Galáxia, ao mesmo tempo em que lidam com desavenças entre alguns de seus integrantes.
Como eu disse não sou muito ligada nesse universo Marvel e DC assisto por causa das produções e tudo mais, mas devo dizer que esses filmes andam me deixando muito incomodada. Primeiro eles fizeram uma bagunça nas histórias, algum tempo atrás eu havia dito que a forma como as produções caminhavam logo teriamos todos os heróis, anti-heróis e justiceiros em um universo só, e aconteceu, mas o que me deixa incomodada é o fato de agora eles quererem arrumar a tal linha do tempo relançando os filmes individuais dos personagens, ou seja, a zona ta armada eu já não entendo mais nada tá pior que Star Wars isso ae haha.
A MORTE TE DÁ PARABÉNS
Sinopse - Tree (Jessica Rothe) é uma jovem estudante que trata mal os meninos, desdenha das amigas e não parece estar muito disposta a atender as ligações do pai no dia do aniversário dela. No fim do mesmo dia, no entanto, ela é brutalmente assassinada por um mascarado. Acontece que ela "sobrevive", ou melhor, acorda no mesmo e fatídico dia, numa espécie de looping macabro, que termina sempre com a morte da garota. Repetir, seguidamente, o mesmo dia, por outro lado, dá a Tree a chance de investigar quem a está querendo morta e o porquê.
Pensa num filme clichê minha gente, para começar de terror não tem nada essa história, em segundo lugar o contexto de ela ficar acordando todo dia no dia do seu aniversário e morrer até descobrir quem é o assassino ficou extremamente vago, tipo porque isso acontece? Agora o final, eu até fiquei empolgada quando ela descobriu quem era o assassino pensei "ual esse assassino é diferente, bem surpreendente" ai quando pensamos que tudo acabou descobrimos que aquele não é o assassino e sim uma pessoa bem clichê que eu já tinha acusado desde o inicio do filme #Decepcionada.

Bem esses foram os últimos filmes que assisti por aqui e que se encaixam muito bem em uma tarde de domingo, espero que tenham gostado e me contem o que acharam e se já assistiram algum.

Mal feito, feito.

De Volta Para Casa

08/08/2018
Planeta Dakva, QN 68, 20 anos luz de Na-I

- NEYE?! – gritei enquanto tentava me esquivar dos ataques incessantes dos capangas do rei Zollas III, os Zods.

- Sim Major? – Neye era minha parceira nas missões, a primeira de sua linhagem, uma nave projetada com alta tecnologia e inteligência artificial independente. Ela conhecia tudo além dos quatro cantos do universo e era também minha amiga.

- PRECISO SAIR DAQUI AGORA.

- O item já foi recuperado Major? – ela só podia estar de brincadeira.

- O QUE VOCÊ ACHA NEYE? AGORA ME TIRA DAQUI!

- Há um desfiladeiro á 800 m ao norte Major, estarei esperando o senhor.

- Desfi... Que seja. – corri o mais rápido que pude rumo as coordenadas que Neye havia me dado, por entre as crateras ferventes de Dakva. – Só podia ser. – Neye havia me mandado para uma zona morta do planeta onde nem os Zods, os piores mercenários do espaço colocavam os pés. O desfiladeiro estava próximo e eu já podia avistar Neye, um salto era tudo que eu precisava, até que sinto algo se enrolar em minha cintura e sou puxado para trás. – NEYE?!

- Estou capitando sinais de vida local, major... – isso só poderia ser brincadeira, eu estava sendo arrastado por uma zona morta, repleta de crateras vulcânicas por uma criatura local com tentáculos. – espécie identificada. O Sr. Esta sendo puxado por um Louzol, segundo a base de dados se trata de uma criatura Dakvaniana que reside na região de Zolding, zona morta do pais de Dakva. A criatura é conhecida por ter mais de dois metros de altura e possuir oito tentáculos capazes de alterar seu tamanho conforme a distancia de sua presa. Ele não possui visão mas tem uma audição muito aguçada é assim que identifica suas presas, carnívoro nível 5, sua boca possui mais de 200 presas afiadas, sua refeição favorita é carne humana, sua residência é entre as cavernas de Neja e só sai para se alimentar se...

- NEYE?!

- Sim major?

- Eu parei de dar atenção quando disse que sua comida preferida é humano, no caso EU, ENTÃO ME TIRA DAQUI AGORA!!!! – isso não poderia estar acontecendo, só porque estava finalmente adiantado em uma missão um mostro com tentáculos tinha que me atacar, sério mesmo?. A criatura estava me puxando cada vez mais rápido por entre as crateras não demoraria muito até que eu me torna-se a refeição do dia e isso definitivamente não estava nos meus planos.

- Major? – finalmente, pensei.

- Diz que descobriu como matar essa coisa?

- Sim major.

- Então diga de uma vez. 

- Para matar um Louzol a pessoa deve arrancar seu coração.

- Com... como é que é Neye? – ironia do destino, hoje eu morreria, em Dakva, tanto lugar no espaço para morrer e eu morreria em Dakva. – ISSO NÃO PODE SER SÉRIO NEYE? Não tem como eu fazer iss... – um puxão e sou arremessado para cima, o tentáculo havia me soltado e eu começava a cair, me atrevo a olhar e lá esta ela me esperando uma boca enorme repleta de presas afiadas e gosma verde. Meu bastão! Rapidamente passo a mão no bastão que há encaixado a minha perna espero dois segundos e o ativo no momento exato, um urro alto e agoniante e a criatura explode em pedaços me deixando coberto de gosma verde.

- Essa também é uma boa maneira de se livrar de um Louzol major. – diz Ney pelo comunicador, ela só poderia estar brincando.

- Só me tira daqui.

- Sim senhor.


A Neye 78S era o que tinha de mais moderno em tecnologia e inteligência artificial independente, como primeiro major da FIFE (Federação Internacional das Forças Estelares) eu passava mais tempo nela do que na minha própria residência em Na-I. Costumo trabalhar sozinho, acredito que parceiros nos distraem as vezes, principalmente as com quem trabalhei, e bem já tenho a Neye que faz isso muito bem, sou o melhor na minha categoria 100% de aprovação e cumprimento das missões além de nunca ter perdido um parceiro, mérito de se trabalhar sozinho.

- Ligação do superintendente Roanon Ta’Orz, major Uttron. – já era de se esperar, pensei.

- Você me colocou em confusão dessa vez Neye. Pode transferir.

- Major Uttron Koah você não deveria estar aqui há 10 anos luz atrás? – ele não parecia nada contente com meu atraso.

- Eu sei senhor só... só tive um pequeno problema.

- Sabe major seu talento como soldado é impecável e surpreendente, gostaria que sua pontualidade fosse igual – isso não foi justo, eu chegaria cedo dessa vez se não fosse aquele Louzol – recuperou o objeto?

- Sim senhor, o Nano Vuxri BB7 foi recuperado intacto, ao que me parece o rei Zollas III não teve chance de usa-la.

- Excelente. Você tem 20 minutos. Desligo.

- Sim senhor. – disse mais para eu mesmo do que para grande tela negra a minha frente. O superintendente podia ser difícil as vezes mas devo muito a ele ao longo de minha carreira, não teria chegado onde estou sem seu apoio e confiança.

- Talvez o senhor queira trocar de roupa major, já que está coberto de sangue de Louzol. – não acredito nisso, no meio de toda confusão acabei me esquecendo que estava coberto de gosma verde.

- Você me deixou falar com o superintendente assim Neye? 

- Lamento senhor, não imaginei que fosse algo que eu devesse lembra-lo.

- Claro que não. Ativar modo automático. – eu estaria em Na-I em breve depois de muito tempo fora de casa.

- Ajustando comandos para modo automático. – repetia Neye enquanto ajustava todas as coordenadas e cursos da nave.

- Lá vamos nós, entrar no superespaço. – estávamos a toda velocidade.

- Entrando no superespaço, tempo estimado de aterrisagem de dez minutos e quinze segundos.

- Ok Neye assuma daqui por favor enquanto vou me trocar.

- Sim major. 


Casa. Fazia tanto tempo que havia saído de Na-I que não sabia o que esperar, não sabia quem esperar. Casa. Não sabia ao certo se ainda tinha uma.
P.S 1 - eu sei que havia dito que essa semana teria post sobre fotos e pinterest, maaaaaas não deu tempo de tirar as fotos, então eu dei uma segurada nessas postagens, mas vou trazer elas para vocês em breve.

P.S 2 - Faz muito tempo que não trazia uma história feita por mim aqui para o blog, lembro - me que a primeira que postei foi "A Garota e o Monstro" sem dúvidas minha melhor criação - risos a parte - e logo depois eu trouxe os devaneios de Elisa nos contos de "Billy's Coffe" e o último foi o do "Assoviador" poucos eu sei. Estou com essa história de "Uttron Entre Dois Mundos" já faz um tempo lá no wattpad e resolvi trazer um pedacinho dela para vocês, se quiserem ler mais sobre essa aventura é só me acompanhar por lá. Me contem aqui o que acharam e o que esperam da história do Major Uttron.

Mal feito, feito!

Bullet Journal: Resumo da #Potterweek e o Começo de Agosto

06/08/2018
Já tentei de varias formas fazer o bullet Journal, já perdi as contas de quantos cadernos estraguei tentando deixar ele perfeito do jeito que eu queria mas no fim, nunca dava certo. Acontece que eu não sou uma pessoa de se organizar muito no papel, veja pelo meu trabalho por exemplo sempre anoto o que tenho que fazer no dia seguinte mas a verdade é que nunca sigo essas anotações, talvez esse seja o grande motivo de eu nunca ter conseguido concluir um Bujo certinho.

Mas, verdade seja dita. Eu ando esquecida. Cheguei a conclusão de que precisava me organizar com algo que me ajudasse a lembrar tudo que preciso fazer ao longo da semana principalmente aqui no blog e pelas redes sociais. Então vendo essa necessidade, resolvi novamente me aventurar pelo mundo do bullet. Meu grande desafio era como fazer isso sem que eu me perdesse ou desanimasse no fim, então eu resolvi deixar a coisa mais solta, sem essa de montar semanas certinhas todos os meses, decidi me organizar de acordo com os meus projetos.

Olhando de fora parece uma bagunça, já que o mês de Julho por exemplo não ficou completinho já que nele eu só organizei o #Potterweek, mas para mim esse método funciona e como a proposta do bullet journal é você se organizar de uma forma fácil para você então eu acho que estou no caminho certo, e pense cá entre nós me organizando assim é uma forma de caminhar até aqueles bujos lindos que contém todos os dias do ano lotados de compromisso. Um dia eu chego lá.
Potterweek e Polaroides.
Faz muito tempo que desejo uma dessas câmeras instantâneas, as famosas polaroides, já que eu sinto que nasci na década errada, mas com o preço do dólar e meu orçamento não muito favorável - risos a parte - tive que adiar um pouco mais esse desejo, mas com a magia dos aplicativos consegui transformar algumas fotos nessas mini polaroides pelo qual estou apaixonada.
No fim decidi fazer o projeto nesse estilo diário, onde imprimi todas as fotos que usei como cabeçalho dos posts aqui no blog, distribui entre as páginas e escrevi sobre o tema de cada dia, tipo uma introdução que eu fiz para cada post do projeto. Nesse mês de julho eu tirei muitas fotos da qual gostei, fiz uma seleção das queridinhas e imprimi também em "fake polaroid" e colei no blog, já que fotografia é o que representa o mês de julho para mim.
Que seja Agosto de Deus!
Fiquei horas olhando para as folhas em branco pensando em que tema usaria para reger Agosto, dai mexendo em tudo que tenho por aqui achei esses adesivos da Aline Albino que eu havia baixado no final de Junho mas ai surgiu um problema, ali no meio da cabeça do astronauta onde escrevi agosto estava escrito julho no adesivo original mas eu queria muito usar esse tema então o que fiz? Isso mesmo cortei a parte que estava escrito julho e deixei vazado, assim eu poderia escrever o que quisesse ali no meio. Todo inicio do mês eu faça um mini calendário para que eu possa acompanhar os dias e escrevo alguma coisa relacionada ao tema que escolhi.
Para as semanas segui usando os adesivos da Aline - que vou deixar aqui o link para quem quiser baixar - fiz essas primeiras semanas bem simples para que eu consiga encaixar tudo que preciso fazer, e já aviso de antemão que faltou espeço, fazer o que né - risos de nervoso - como eu disse no começo desse post eu não estou seguindo todo o caminho do bujo arrisca então eu não fiz "habit tracker" nem "mood tracker" porque não consigo concluir, então deixei para fazer mais para frente caso eu ache necessário. Outra coisa que mudo é o "to do list" onde ao invés de fazer uma lista propriamente dita sempre coloco uma fase que defina minha semana, a da semana passada foi "i'm absent from myself" que estou achando que vai definir meu mês, mas espero sinceramente que não.
Esse caderno é novo por isso só tem esses dois meses, não fiz bullet journal no primeiro semestre do ano porque foi tudo uma loucura sendo bem sincera. Esse é mais um post para o BAEDA que estou tentando seguir firme forte, estou buscando também trazer mais fotos originais para o blog portanto já aviso logo que as fotos dos textos que trago para vocês semanalmente serão tiradas por mim, as que não forem vou sinalizar - não vou mudar as antigas, porque tem mais de 300 posts nesse blog minha gente hahaha - espero que gostem. Para essa semana vou trazer uma postagem sobre aplicativos de fotos para celular e uma sobre o lindo do Pinterest e lembrem-se que qualquer sugestão ou dica é bem vinda.

Mal feito, feito!

I'm Absent From Myself

04/08/2018
Estou ausente de mim.

Parece clichê eu sei, mas a verdade é que não me lembro exatamente como cheguei a essa situação, ou melhor, como me deixei chegar a essa situação onde o fundo do poço é mais confortável que minha cama mesmo nos dias em que só sei dormir. Sempre fui o tipo de pessoa que se mantem em pé independente da situação, que não gosta de demonstrar fraquezas para ninguém, afinal cada um sabe os demônios que enfrenta e a sociedade não precisa saber disso. 

Minhas barreiras foram derrubadas.

Já faz um tempo que venho notando isso, que já não há mais barreiras, que já não consigo mais me manter em pé, mesmo tentando firmemente todos os dias. A verdade, eu acho, é que simplesmente deixei tudo ruir ao chão na esperança de que algo ou alguém finalmente me ajudasse a juntar os pedaços. Isso não aconteceu. Mesmo deixando as mascaras caírem continuo não demonstrando minhas verdadeiras intenções ou pensamentos, me escondi por tanto tempo que parece uma ofensa deixar que as pessoas saibam como realmente sou ou o que ando sentindo.

Já não caibo mais em mim. 

Por mais que eu tente me recompor me sinto transbordar cada vez mais, do tipo que não há controle. Me pego em lágrimas as  vezes sem motivo aparente mas que me traz um alivio daqueles que um médico sente ao acabar de salvar uma vida. A verdade é que deixei a rotina acabar comigo. E continuo a deixar. Não sei como mudar e as vezes acho que não quero mudar, por medo de recomeçar e perder tudo que de certa forma conquistei até aqui. Não faz sentido eu sei, sempre digo belas palavras a quem precisa e o encorajo a ter coragem e aceitar que as mudanças são para o nosso bem, mas não consigo ser assim. Eu já tentei. Acho que no fundo sou o tipo de pessoa que prefere observar o vôo alheio do que voar propriamente.

Sinto que já não sou mais a mesma, mais uma vez. Só que sinto que dessa vez está tudo pior um pouco, sinto que não vou conseguir me levantar dessa vez, que aderi a poeira daquele velho comodo e me tornei meras lembranças de um passado distante. Já não sou mais eu. Já não caibo mais aqui. Estou ausente de mim. Perdi tantos pedaços ao longo da jornada que cola nenhuma pode consertar. Me perdi o longo dos anos e agora tudo parece difícil de se reencontrar. Estou vazia. Estou perdida. Estou ausente de mim.