{Billy's Coffee}:Uma Café e Um Amor, Quentes Por Favor

by - quinta-feira, abril 21, 2016


Eu sei, parece mais uma brincadeira analisando a historia por esse lado mas o que posso dizer, essa sou eu, esse é meu destino, essa é a minha historia, ou o que era para ser. Jamais me passou pela cabeça que ao sair de casa naquela manhã cinzenta de novembro fosse me proporcionar tamanha experiência e surpresa, quero dizer sempre lhe encontrava por ai em meio a cafés e pubs, mas nunca imaginei que nesse dia, justo nessa manhã que sai de casa da pior maneira possível, você fosse falar comigo.

Estava na fila como de costume no velho café do Billy, sem brincadeiras ou sarcasmos era antigo mesmo, há quem diga que fora o primeiro café criado no Brooklin, mas não tenho esse tempo de vida suficiente para afirmar tal ideia. Acreditem vocês ou não Billy era o único que conseguia fazer aquele café com aroma de menta que eu tanto amava, ou quem sabe era só pelo fato de ser perto de minha casa e eu não ter ido a muitos outros cafés, mas lá estava eu como de costume parada na espera e expectativa daquele aroma maravilhoso que só aquele café podia me proporcionar.

A manhã alem de cinzenta estava fria, atrás de mim alguém abriu a porta tomando o lugar quente e aconchegando com uma rajada de vento frio por alguns segundos, era notável como todos a minha volta se encolheram assim como eu, não olhei para trás para ver quem era ou o que era, foi só quando esbarrou em mim ao passar que o notei, ou devo dizer que você me notou, por alguns segundos bem constrangedores nossos olhos se conectaram, senti como se só existisse nós naquele lugar quente e perfumado de café, seus olhos era de um azul tão cinzento quanto a manhã lá de fora capazes de afogar qualquer um que se atrevesse a olhá-lo por muito tempo.

Me desliguei deles quando a pessoa a minha frente deu um passo para trás pisando assim em meu pé, tudo voltou a conversa em volta, o abrir e fechar da porta e você que continuava ali parado ao meu lado na fila com as mãos no bolso olhando para baixo, fiz o mesmo constrangida e inquieta e apesar de ter imaginado tanto aquele momento tudo que eu mais desejava agora era sair dali o mais rápido possível, não aquele não era o momento, ou pelo menos eu pensava não ser. Quase como adivinhando meu pensamento você se afastou, sentou-se em uma mesa e ali ficou observando pelo janela as pequenas gotas que apontavam lá fora “hoje não é meu dia” pensei, a fila diminuía enquanto eu fitava o chão quando eu pensava ser minha vez fui tirada do torpor de meus pensamentos por você que se adentrou em minha frente e disse “se importa se eu lhe pagar um café?”, e agora o que dizer? Como agir? Eu fiquei completamente perdida, sem palavras, sem cor e mesmo sem saber o que viria a seguir apenas assenti com a cabeça, você então se virou para o Billy e disse “um café e um amor, quentes por favor”.

4 comentários

  1. Adorei ♥ Leria um livro seu com toda certeza, moça. Quem dera todos os amores serem tão quentes quanto um café bem forte. Acho que se um dia isso vier a ser real, vamos aprender a viver intensamente, de fato. Tomara que não demore muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kel ♥ bem quem sabe os amores não quentes e nós que os deixamos esfriar por medo de se queimar? Eu diria que a hora já é essa de viver intensamente, de amar e se entregar ao aroma de menta e torpor que um amor e um bom café pode nos proporcionar e quanto ao livro, um dia quem sabe, beijos moça!!!

      Excluir
  2. Café <3 nada melhor! Fiz um post sobre o dia mundial do café no meu blog! hahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Café é tudo de bom mesmo haha fico feliz que tenha gostado, beijos!!

      Excluir

@VENTOSDMAIO