{Coluna}: Ao Amor, Quando Encontrá-lo

by - quinta-feira, junho 16, 2016


Não é tão antiga essa história, ao menos não é antiga ao ponto de alguém começar ela com “era uma vez”, mas de início queria dizer que sou apenas um espectador, e não protagonista, aliás um excelente espectador. Vamos começar:

A primeira vez que vi o acontecimento eu achei clichê e totalmente sem sentido, ao menos que eles fossem esse tipo de casal, bom, agora já sabem que vou contar uma história quase romântica, e o ‘quase’ seria pelo fato de eu não saber escrever de forma romântica. 

Todos os dias ao pegar um certo ônibus, no horário das 7 da manhã, vazio, o que por sinal era algo raro, mas ao mesmo tempo me sentia sortudo. Como disse, todos os dias eu via entrar no ônibus um senhor, que aparentava ter por volta de 50 anos, ou mais, o importante era o que acontecia antes dele entrar, sua esposa, ao menos eu acho que era, lhe dava um beijo profundamente apaixonado e lhe dizia algo nos ouvidos que eu sinceramente, ao olhar, achava uma atitude totalmente amorosa, e de valor imensurável. 

Ao se passar cerca de um ou quase dois meses vendo essa cena magnifica, e lembrando como meus pais se tratavam, e percebendo quanto amor poderia haver em diversas situações dentro desse tipo de relacionamento, eu senti falta desse senhor em várias viagens, cerca de 5 dias se passaram e por sentir sua falta não teve como eu não procurar saber o porquê.

Em um dos dias quando passava de ônibus no mesmo local avistei a esposa do bom senhor, parada no ponto de ônibus, lendo um livro, que não consegui reconhecer, e no mesmo instante pedi para descer do ônibus, e fui ao encontro daquela senhora.

Ao chegar e cumprimenta-la, percebi que não fazia muito tempo que havia chorado, perguntei sobre o tal senhor, e ela me confirmou que era sua esposa, e me disse que ele havia falecido havia 6 dias, constantemente chorosa, e com medo do futuro, ela me disse: A vida te dá apenas uma chance de ser feliz com seu amor, então de ao máximo de valor a esse amor, quando encontra-lo. 

Eu sinceramente, chorei de uma forma descontrolada, após ouvir toda a história dele, e sua luta constante contra certas doenças, e a forma como aquela mulher estava do seu lado o tempo todo, e ainda após sua morte não conseguia parar de estar com ele. 

De Fato, cheguei à conclusão de que essa história não seria romântica, ou trágica, e sim a verdade com relação a vida.

Ed Gomes

2 comentários

  1. Nos dias de hoje é raro encontrar um amor assim. Mas quando e quem acha deve estimar e guarda-lo. Ele não é bem raro de achar, apenas é uma virtude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é muito raro encontramos tal amor mas não podemos desistir, para todo coração há um aconchego. Beijos!!

      Excluir

@tiposdalu