{Contos de HP}: Dumbledore e Harry Através da Penseira

by - quinta-feira, agosto 18, 2016

Dumbledore e Harry usam a Penseira no escritório do diretor para visitar sua memória de quando conheceu Tom Riddle pela primeira vez. Eles seguem um Dumbledore jovem de cabelos ruivos, abaixo de uma movimentada e antiquada rua de Londres para um orfanato de aparência sombria e observam pela sua interação com Sra. Cole, a matriarca do orfanato e com o Tom Riddle de onze anos.

Na memória, Dumbledore é questionado suspeitosamente pela Sra. Cole sobre Hogwarts e seus planos para Tom Riddle. Após ser questionado sobre a escola e sobre como Riddle foi registrado, Dumbledore desliza sua varinha para fora do bolso e entrega um pedaço de papel em branco para Sra. Cole, acenando sua varinha sucessivamente, como de costume. O feitiço que ele lança faz com que os questionamentos da Sra Cole cessem. Dumbledore pergunta sobre Tom Riddle e sobre os pais do garoto. Ele está interessado na versão dela de Tom, ouvindo solenemente quando ela menciona o incidente com o coelho de Billy Stubb, que foi encontrado enforcado nas vigas depois que os garotos tinham discutido. Ele relembra a Sra Cole que Tom precisará retornar ao orfanato pelo menos todo verão.

Dumbledore é levado para o quarto de Tom no orfanato e se apresenta pessoalmente ao garoto. Ele informa a Tom que é um professor de Hogwarts e que lhe foi oferecido um lugar na escola, e que é uma escola de magia. Ele observa cuidadosamente a reação de Tom. Quando Riddle ordena que ele prove que é um bruxo, Dumbledore repreende sua grosseria e prontamente coloca o guarda-roupa em chamas com um leve movimento de sua varinha. Ele termina o feitiço momentos depois, deixando o guarda-roupa intacto. Quando um barulho de chocalho vem de dentro do armário, Dumbledore pede a Riddle para remover a pequena caixa de cartões da prateleira de cima, e pergunta se tem algo nela que não deveria estar ali. Quando o garoto revela os itens roubados na caixa, Dumbledore severamente diz a ele que roubar não é tolerado em Hogwarts e que para entrar no mundo dos bruxos, ele teria de concordar em seguir as suas regras. Ele dá dinheiro a Tom para o seu material escolar, mencionando que os fundos de Hogwarts são para estudantes que precisam de ajuda e surpreendentemente concorda com a sugestão de Tom de deixá-lo visitar o Beco Diagonal sozinho, dando-lhe as direções para o Caldeirão Furado e a Plataforma 9 e ¾ . Dumbledore aperta a mão de Tom, hesitando momentaneamente quando o garoto revela que é ofidioglota, e deixa o quarto.

Quando as memórias acabam, Dumbledore e Harry retornam ao escritório do diretor e falam sobre o encontro.



Tradução por Marina Meireles para o Blog Leitura Virtual

4 comentários

  1. Amo esse filme, adorei ler esse conto ♥
    Beijos.

    garotascomovoceoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah fico feliz em saber que ama HP assim como eu e que bom que gostou do conto flor, beijos!!

      Excluir
  2. HP, como não amar? Dá vontade de "reviver" tudo, desde a primeira carta de Hogwarts. <3

    www.gisellef.com.br
    www.oamorebrega.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é uma verdade moça HP é tudo de bom e a vontade é ver o tempo todo, um super beijo!!

      Excluir

@tiposdalu