{Crônicas do Silêncio}: O Instituto

by - terça-feira, novembro 08, 2016

Tic-tac, o som repetitivo que vinha do andar de baixo não ajudava nem um pouco Lisa a dormir o celular na mesa e cabeceira mostrava ser duas e cinqüenta e cinco da manhã e ela continuava ali á rola de um lado para o outro intercalando vez ou outra com observar o teto. Os últimos dias haviam sido difíceis, sua casa fora destruída por uma tempestade, ela e sua família havia sofrido um acidente e agora estava onde chamavam de “O Instituto” algo como uma casa de repouso e especialização para pessoas como ela, “como eu” essa era uma fala que martelava constantemente em sua cabeça nos últimos dias pois afinal quem era ela? Ou melhor o que era ela? Para ser bem sincera Lisa tentara de entender o que estava acontecendo ou o que podia acontecer sua única preocupação no momento era descobrir onde estava sua família.

Lisa não se lembrava de muita coisa desde o acidente tudo que tinha era sensações e o que ela chamaria de alucinações, mas para Julia a diretora do instituto o que ela possuía era fragmentos de lembrança a qual ela havia perdido em oitenta por cento na batida. Ela se perguntava o tempo todo o que teria acontecido e tentava compreender se aqueles olhos vermelhos na escuridão freqüentemente era parte de alucinações ou dos fragmentos de lembranças. As badaladas altas vindas do andar de baixo comprovavam ser três horas da manhã e ela continuava sem o mínimo sono mas mesmo em meio a esse som de comprovação ela pode distinguir outro, vozes, alguém mais alem dela estava acordado e com uma certa impaciência pela forma como falava, levantou-se devagar e caminhou na ponta dos pés assim como fazia quando era criança e caminhou lentamente até a porta entreaberta parada na soleira do quarto no fim do corredor estava Julia, “mas o que ela fazia ali a essa hora?” ela se perguntou mas Julia não estava só conversava a altos gestos com Frank um dos orientadores e uma terceira pessoa que não conseguia identificar Julia estava se exaltando, Lisa estava prestes a voltar para cama quando ouviu seu nome vindo da terceira pessoa foi só então que ela soube quem era, Dylan.

“A Lisa? Isso não é possível?” , questionou Dylan.

“Acredite é ela eu sei, perceba os sinais e também saberá.”, Julia estava nervosa, ela nunca a virá tão exaltada.

“ E o que eu tenho a ver com isso, cabe ao comitê do instituto e aos membros da cúpula cuidarem dela e não a mim.”, Lisa não entendia porque Dylan a tratava com tanto desprezo desde que chegara ali.

“Dylan me escute você é o único herdeiro em quem os membros confiam só você pode fazer isso, mais ninguém.”, Julia parecia quase desesperada.

“Julia tem razão só você pode fazer isso.”, concluiu Frank por fim.

“Está bem que assim seja”, bradou Dylan caminhando na direção oposta a conversa.

“Você realmente acredita que ela fará isso com ela Julia?”, perguntou Frank ao ter certeza que ninguém mais ouvia.

“Eu não sei, mas ela é o único que pode tentar, Elisabeth Sozza precisa desaparecer.”, afirmou Julia e ambos saíram deixando uma Lisa escondida e apavorada no quarto próximo, o que ela realmente acabar de ouvir afinal? Eles queriam que ela sumisse, mas por que? Agora mais do que nunca ela tinha certeza de que precisava achar sua família e partir deixando tudo e todos do instituto para trás, pelo bem de sua sobrevivência.



Nota de rodapé - bem estou me empolgando um pouco nessa história para ser bem sincera já estou com um conteúdo legal dela aqui mas para continuar a publicar preciso saber se vocês etão gostado e se querem que eu poste a continuação, para ler a primeira parte - CLIQUE AQUI - e depois me contem o que estão achando.

0 comentários

@tiposdalu