Fugi, Mas o Mundo me Encontrou

by - terça-feira, novembro 01, 2016

Com um bipe alto e repetitivo eu desperto quase que completamente, ao fundo ouço algumas vozes que parecem vir bem do fundo da minha mente aos poucos eles vão ganhando nitidez e o borrão a minha visão vai ganhando forma o lugar é bem iluminado, branco e seu cheiro nada mais é que uma exagerada mistura de álcool com produtos de limpeza. Aos poucos vou ganhando consciência e começo a observar o local, estou rodeada de aparelhos estranhos mas conhecidos, a fios para todo lado acima de mim havia uma bolsa com um liquido estranho dentro ele pingava tão devagar que me deixava sonolenta só de olhar o liquido se esvaia por um fio fixado na minha mão direita por uma agulha aquilo doía, as pessoas a minha volta começam a falar e gesticular desesperadamente, mas eu não conseguia distinguir ou compreender do que se tratava.

Uma moça alta de branco entra pela porta rapidamente vem ao meu encontro e começa a mexer nos aparelhos, mexe na minha mão faz anotações e gesticula como quem explica algo. Me foco na luz e esqueço esse barulho mudo de quem esta a minha volta um gotejar ao fundo da minha mente chama minha atenção aquilo é conhecido mas não sei dizer ao certo o que é então fecho os olhos e me deixo envolver pela escuridão me deixo levar até o barulho, começo então a caminhar o chão está molhado e as paredes úmidas não posso dizer ao certo onde estou pois está muito escuro a única luz encontra-se a minha frente no fundo do que parece ser um corredor, a cada passo dado mais próximo o barulho fica chego então ao local iluminado.

O bipe alto e repetitivo me desperta novamente agora posso ver que trata-se de um quarto de hospital o local está vazio não há pessoas, não há aparelhos, não há fios, há somente eu e uma cama atrás de uma porta eu escuto novamente o gotejar levanto-me descalça e sigo em direção a porta levo minha mão a maçaneta e á abro ao fundo visualizo uma torneira, que goteja incansavelmente começo a me aproximar para fecha - lá e mais alto e forte o barulho fica a cada passo dado ele só aumenta consigo alcançá-la e a fecho, nesse momento sinto como se tivesse levado um choque e desperto de um impulso sento a cama, as pessoas estavam de volta, os fios, os aparelhos, tudo estava de volta, agora eu podia ver, podia ouvir, tudo fazia sentido.

Meu esconderijo se fora, o mundo me despertara novamente, eles haviam me encontrado difícil de acreditar eu pensei não havia rastros, não havia pistas, não havia chaves, como haviam me localizado? Tudo agora estava ao chão, lembranças, sofrimentos, dores e pensamentos, tudo se perdeu, juntamente com aquele lugar, um lugar meu, feito por mim para mim agora, eu estava de volta a caótica humanidade, a insana sociedade não sabia como nem por que ainda mas meu esconderijo secreto se perdeu quando fechei a torneira o mundo me descobriu agora eu estava acordada mas não estava pronta para o que viria a seguir.

4 comentários

  1. Que coisa mais linda Lu.
    Fazia tempo que não lia um textinho seu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mila sua linda, obrigada e fico feliz que tenha gostado. Beijos moça!!

      Excluir
  2. Que texto lindo. E ao mesmo tempo forte, gostei muito da maneira que você escreve, paraéns <3

    Carol | Pink is not Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada moça, fico muito feliz que tenha gostado e que goste da maneira como escrevo. Beijos!

      Excluir

@tiposdalu