[ESTANTE]: Divergente, Verônica Roth

by - 28 novembro

Sinopse - Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.
Dividir para conquistar foi uma estratégia de Alexandre, o Grande, mas poderia facilmente ser discurso das facções. Divergente foi um livro que li após ver o filme e sinceramente não sabia bem o que esperar. Gostei bastante da história e do desenvolvimento dos personagens, depois de uma pequena analise percebi que muito pouco foi deixado de fora na produção cinematográfica, basicamente nada de importante ficou de fora.
A historia é situada numa Chicago futurista, onde nossa sociedade foi dividida em cinco facções a fim de limparem nosso mundo de sentimentos e ações que levaram a seu quase fim (o que me lembrou muito "O Guardião de Memórias"), nossa personagem principal Beatrice ou Tris como gosta de ser chamada, nasceu na Abnegação que é a única facção dedicada ao altruísmo , esquecendo de si para o bem dos outros. Tris não consegue se encaixar na facção de sua família que é a Abnegação, mas também não sabe a qual facção pertence, até fazer o teste e descobrir que é uma Divergente (alguém capaz de ter características de todas as facções, ou algo do tipo). Assim no dia da cerimônia de escolha da facção, Tris acaba escolhendo a Audácia e seu irmão Caleb a Erudição, deixando seus pais completamente chocados por nenhum dos filhos terem escolhido a Abnegação. Mudar de facção é considerado traição, de certa forma, é como se dissesse que não concorda com os valores ali disseminados.
A cada capitulo que eu lia mais me emaranhava no mundo das facções, em seus segredos e no desejo de poder daqueles que juraram não destruir a humanidade novamente. Como já havia assistido o filme ficava extremamente ansiosa para ler as cenas que vi na telinha, o que me deixava maluca já que algumas demoravam para chegar. Apesar de ser "a loca" das fantasias Divergente foi meu primeiro queridinho de ficção cientifica. A atmosfera do livro, a agitação, a liberdade, os desafios, é tudo muito empolgante, além de que, respeito autores que matam seus personagens. Respeito ainda mais os autores que tem a coragem de deixarem que você se apegue aos personagens pra depois tirá-los de cena, isso não é spoiler, é só um aviso para que não achem que é tudo um mar de rosas, que o pessoal da Audácia só fica fazendo Le Parkour pela cidade, que a Erudição só sabe estudar, que os integrantes da Amizade não passam de figurantes, que os Franqueza são grossos ou que o pessoal da Abnegação é um bando de manés.
O desenvolvimento dos personagens meu surpreendeu pois eu já estava pronta para mais uma mocinha como Isabella Swan (Saga Crepúsculo, sorry baby's) mas não a Tris só não tem expressão mesmo, mas é uma mocinha muito ativa e luta bastante el tem horror de mostrar suas fraquezas e apesar de estar acostumada, detesta que todos a julguem incapaz de muita coisa só por seu tamanho. O resultado é uma constante de provações e atos corajosos que demonstram o quanto ela pode ser importante para o grupo e para a facção. O melhor? Tris não é uma idiota que faz coisas inconsequentes e estúpidas como os outros adolescentes, ela está sempre ciente das suas limitações e trabalha para superá-las. Quanto ao Quatro bem difícil lê-lo sem visualizar o Theo James ( interpreta o personagem Quatro nos filmes) mas bem que tentei, esse é um dos pontos negativos de ler o livro após o filme. 
No geral Divergente é um livro bem construído em seus focos e explora bem esse sonho de utopia dentro da distopia. Se você gosta de historias dinâmicas, com ação, mistérios e um romance digno de fazer suspirar esse livro é a pedida certa, você não vai se arrepender.

You May Also Like

2 comentários

  1. Oiiie

    Não consegui me viciar nessa série :( Parei no segundo livro e nem o filme consigo ver direito. Não sei bem o porque rs

    Adorei seu post e as imagens dos quotes!

    Beijos!

    http://leelerblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me considero uma viciada mas com certeza gosto da série é uma pena que não consiga acompanhar. Fico feliz que goste um beijo!

      Excluir