[Quase Publicitária]: A Faculdade Não é Tudo Isso

23/04/2018
Já faz um tempo que venho ensaiando postar sobre o assunto "faculdade" por aqui, pensei em varias maneira de fazer isso ou em qual nome eu poderia dar para esse momento. Mas falar sobre comunicação é mais difícil do que eu pensava. Pensei em varias maneiras de dizer isso sem que parecesse ofensa, mas não tem forma fácil de dizer então la vai "a faculdade não é tudo isso". Mas calma lá, antes de criar teorias mirabolantes ou me xingar do outro lado da tela deixa eu te mostrar o que quero dizer. 

Acontece que eu tenho uma estrada meio longa entre faculdades, para dizer bem a verdade já estou na minha terceira, mas não vai achando que já sou formada em tudo isso. Quando saí do ensino médio entrei na faculdade de Pedagogia, fiz um semestre e desisti logo, acontece que eu era muito nova e bem era a mais nova da turma, não me adaptei muito, logo percebi que aquilo não era para mim e que eu não tinha lá muita vocação para ser professora. Na época eu morava em uma cidade pequena então não tinha lá muitas opções, fiquei um bom tempo parada até que resolvi fazer um curso Técnico de Enfermagem durante dois anos e meio.

Apesar de um bom curso e de toda a dedicação no fundo ainda não era o que eu queria, mas cidade pequena, sabem como é. No fim acabei me mudando para uma cidade maior e as oportunidades se aumentaram e enfim pude embarcar na profissão que sempre quis, Publicidade e Propaganda - alô Comunicação Social - apesar de a maioria das pessoas acharam que eu combino mais com Jornalismo, vai entender não é mesmo?

Ergui a cabeça e entrei na faculdade novamente, enfim fazendo um curso que tanto queria, estava super empolgada, pessoas novas, informações novas, tudo empolgante até que...a vida me jogou um balde água fria e percebi que era hora de colocar os pés no chão. Estudar até tarde, virar a noite fazendo trabalho e ainda ter que trabalhar o dia seguinte inteirinho foi fazendo com que toda a magia fosse embora. Mas continuava sendo o meu curso queridinho. No fim percebi que as pessoas da faculdade não são muito diferentes das que conhecemos no decorrer da vida, a maioria interesseira e preguiçosa para ser bem sincera. Prestes a embarcar no meu quinto semestre - vejam bem, faltando apenas dois anos para me formar - mais uma vez larguei tudo e decidi que aquilo não era para mim. Loucura eu sei. Acontece que o problema não era o curso, ou melhor não só o curso, o problema era que eu já não estava mais interessada em nada daquilo e quando vi a instituição que eu estudava ir para o buraco - melhor não citar nomes, né? - eu vi que era minha hora de partir.

Após cerca de um ano sem fazer absolutamente nada, decidi que era hora de eu dar um jeito na minha vida. Sempre ouvi das pessoas a minha volta que eu precisava estudar e ter um diploma para ser alguém na vida, todos esses clichês que vocês já conhecem, mas eu não sentia isso, não via tal obrigação. Depois de um ano sabático resolvi que voltaria a estudar e que concluiria, o curso da vez? Publicidade e Propaganda, oras, eu amo esse curso, ama essa profissão e por incrível que pareça acredito que ela é perfeita para mim e gosto muito de estar nesse meio da comunicação, apesar de me comunicar melhora através de palavras na tela de um computador ou em um velho pedaço de papel. A loucura da vez? Começar do zero, eu no alto dos meu vinte e seis anos, simplesmente decidi começar tudo do zero. E cá estou eu em uma nova instituição, no primeiro semestre com um punhado de adolescentes - risos a parte - é uma verdadeira loucura.

Mais uma vez a vida me joga um balde água fria e percebo que a faculdade só essa magia toda em filmes hollywoodianos, não que seja ruim, só não é tudo isso, exige dedicação, tempo e um controle emocional e psicológico impecável e para dizer bem a verdade o meu nunca foi lá muito no lugar. No fim creio que agora é certeza de que vou concluir, apesar de saber bem como tudo funciona e que o mar de rosa esta apenas na nossa imaginação não devemos deixar que isso acabe com o sonho de me tornar uma publicitária. No fim acho que para desabafar um pouco sobre esse mundo louco, vou começar a trazer um pouco sobre tudo que acontece por lá para vocês, de forma simples e nada muito profundo, não quero acabar com o sonho de vocês. Mas tenham em mente, a faculdade é um evento natural da sua vida que pode ou não mudá-la para sempre, isso é você quem vai decidir. Esqueça sua idade ou dificuldade, se você quer vá e faça, mas faça por você e não pelos outros, ok? 

Adoraria saber o que vocês estudam e se tem alguma estudante de publicidade por aqui, me contem suas impressões.

Mal feito, feito!

Um comentário:

  1. Oi amiga, comecei agora no segundo semestre a faculdade de jornalismo em uma Federal que não é do meu estado. A cidade fica a 1:30 da minha -tão amada- casa. Estou morando com duas amigas, uma delas de infância, a outra do ensino médio. Gosto muito delas e nossa convivência, até agora, não teve problemas. Mas também recebi um balde de água fria em relação ao curso. Meus professores são, a princípio, bons, mas o que está pegando é a minha relação com os "colegas de classe". Sempre achei que ao entrar no curso dos meus sonhos eu encontraria pessoas parecidas comigo, ou no mínimo amigáveis. Mas não foi isso o que aconteceu, são pessoas as quais eu não me conectei nem um pouco! Todas fazendo uma auto propaganda incansável, excessivamente comunicativas - algo que se pode chamar de falsidade - já saíram formando grupinhos, algo bem imaturo. Vejo que o fato de eu ser uma das poucas vindas de outro estado faz com que eu me sinta muito só no ambiente acadêmico. O curso é integral, então infelizmente sou obrigada a passar bastante tempo com aquela gente. Ainda não consegui uma companhia fixa para os almoços, é sempre quando ando com determinado grupo, me sinto a margem. Almoço na maior parte das vezes com uma das meninas que moram comigo. O fato do ambiente não me agradar, nem o tema das conversas (até agora vigoram temas bem chulos), tem me causado um peso no peito - um sufocamento - que tem me atrapalhado até a prestar atenção nas aulas. Eu não quero desistir, até por que essa é uma boa oportunidade e morro de medo de decepcionar meus pais (que gastaram dinheiro para me manter aqui), mas tenho medo de não me adaptar, de viver eternamente com esse peso, essa dor no coração... Choro todos os dias. A única coisa que queria era me sentjr inclusa, ter um grupo de amigos, mas pelo visto não vai acontecer... Sei que não tem muito a ver com seu texto kkkk mas como você tem experiência em diferentes faculdades (e desistiu de algumas), pensei que talvez pudesse me ajudar.. Muito obrigada
    Segue aqui meu email - marianafloriano.cf@gmail.com

    ResponderExcluir