Potterweek #3: A História das Varinhas [Madeiras] Pt.1

27/07/2018
"Descascando letras douradas sobre a porta, lemos Olivaras: Fabricantes de Belas Varinhas desde 382 aC"


Garrick Ollivander (Sr. Olivaras) nasceu em torno de 25 de setembro de 1919, filho do feiticeiro Gervaise Ollivander e de sua esposa uma feiticeira de nascida-trouxa, descendente de uma velha família de feiticeiros que começaram a fabricar varinhas na Grã-Bretanha em 382 a.c. Aos 11 anos ele ingressou nos estudos da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, onde foi selecionado para a Ravenclaw (Corvinal), ele cresceu na loja de sua família e logo demonstrou seu talento para a arte de fabricação das varinhas desenvolvendo a ambição de melhorar os núcleos e as madeiras utilizadas no seu fabrico e determinou-se a procura da "varinha ideal". Antes de se tornar proprietário da loja de sua família, eram utilizados no fabrico das mesmas diversas variedades de núcleos e madeiras, sendo tal material fornecido pelo próprio cliente, Garrick por sua vez acreditava que esse tipo de manipulação afeta o temperamento das varinhas e revolucionou a maneira como eram feitas as varinhas ao utilizar apenas núcleos específicos com um imenso poder e madeiras especialmente escolhidas como matéria prima.

A varinha resultante escolhia o feiticeiro apropriado, com o qual sentisse uma maior afinidade, o que passou a evitar muitos desastres e injustiças. Apesar de algunss feiticeiros serem contra a esse novo método logo se provou que as varinhas produzidas na Olivaras eram superiores a qualquer outra já produzida. Os seus métodos de localizar madeiras apropriadas e substâncias nucleares e de os combinar corretamente eram segredos bem guardados, por serem avidamente cobiçados por outros fabricantes de varinhas. Por volta do verão de 1938, Garrick Ollivander vendeu a Tom Riddle a sua varinha, no dia 31 de junho de 1991 ele vendeu a Harry Potter uma varinha irmã, que continha em seu interior o mesmo núcleo magico da de Tom Riddle.
“Estranho como estas coisas acontecem. A varinha escolhe o feiticeiro, lembre-se... acho que podemos esperar de você grandes coisas, senhor Potter. Afinal, aquele Cujo Nome Não Deve Ser Pronunciado fez coisas grandes — terríveis, mas grandes.”
A descrição a seguir dos poderes e propriedades de várias madeiras de varinhas é retirada de anotações feitas, durante uma longa carreira, pelo Sr. Garrick Ollivander, amplamente considerado o melhor fabricante de varinhas do mundo. Como será visto, o Sr. Ollivander acredita que a madeira varinha tem poderes quase humanos de percepção e preferências.

O Sr. Ollivander introduz suas anotações em madeiras de varinha assim:

Cada varinha é única e dependerá de seu caráter na árvore particular e na criatura mágica da qual deriva seus materiais. Além disso, cada varinha, a partir do momento em que encontra seu dono ideal, começará a aprender e ensinar seu parceiro humano. Portanto, o seguinte deve ser visto como notas gerais sobre cada um dos tipos de madeira que eu gosto de trabalhar , e não deve ser usado para descrever qualquer varinha individual.

Apenas uma minoria de árvores pode produzir madeira de qualidade (assim como uma minoria de humanos pode produzir magia). Demora anos de experiência para dizer quais têm o presente, embora o trabalho seja mais fácil se Bowtruckles forem encontrados aninhados nas folhas, já que eles nunca habitam árvores mundanas. As notas seguintes sobre as madeiras de varinha devem ser consideradas como um ponto de partida, pois este é o estudo de uma vida inteira, e continuo a aprender com todas as varinhas que faço e combino.

Acácia
Uma madeira de varinha muito incomum que eu encontrei, cria varinhas complicadas que muitas vezes se recusam a produzir magia para qualquer um, exceto seu dono, e também retém seus melhores feitiços, exceto dos mais talentosos. Essa sensibilidade torna-os difíceis de colocar, e eu mantenho apenas um estoque pequeno para aquelas bruxas ou magos de sutileza suficiente. Quando bem combinada, uma varinha de acácia combina com a potência, embora muitas vezes seja subestimada devido à peculiaridade de seu temperamento.

Amieiro
É uma madeira inflexível, mas descobri que seu dono ideal não é teimoso ou obstinado, mas geralmente é prestativo, atencioso e muito simpático. Enquanto a maioria das madeiras de varinha busca similaridade nos caracteres daqueles que servirão melhor, o amieiro é incomum, pois parece desejar uma natureza que, se não exatamente oposta à sua, certamente é de um tipo marcadamente diferente. Quando uma varinha de amieiro é colocada alegremente, ela se torna uma ajuda magnífica e leal. De todos os tipos de varinha, o amieiro é mais adequado para o trabalho de feitiços não-verbais, de onde vem sua reputação de ser adequada apenas para os bruxos e bruxos mais avançados.

Maçã
Varinhas de maçã não são feitas em grande número. Elas são poderosas e mais adequadas para um dono de altos objetivos e ideais, já que essa madeira se mistura mal com a magia das Trevas. Diz-se que o possuidor de uma varinha de maçã será bem amado e duradouro, e muitas vezes notei que os clientes de grande charme pessoal encontram sua combinação perfeita em uma varinha de madeira maciça. Uma habilidade incomum de conversar com outros seres mágicos em suas línguas nativas é freqüentemente encontrada entre os donos das varinhas de maçã, que incluem o célebre autor de Merpeople: Um Guia Abrangente de sua Língua e Costumes , Dylan Marwood.

Cinza
A varinha de cinzas se une ao seu verdadeiro mestre e não deve ser passada ou presenteada pelo dono original, porque perderá força e habilidade. Essa tendência é extrema se o núcleo for de unicórnio. Antigas superstições em relação a varinhas raramente são examinadas com atenção, mas acho que a antiga rima em relação a varinhas de sorveira, castanha, cinza e aveleira (fofocas de sorveira, drones castanhos, cinzas é teimosa, gemidos de avelã) contém uma pequena porção de verdade. Aqueles bruxos e bruxas mais adequados para varinhas de cinzas não são, na minha experiência, levemente influenciados por suas crenças ou propósitos. No entanto, a bruxa ou mago impetuoso ou excessivamente confiante, que muitas vezes insiste em experimentar as varinhas desta prestigiosa madeira, ficará desapontado com seus efeitos. O dono ideal pode ser teimoso e certamente será corajoso, mas nunca grosseiro ou arrogante.

Álamo
A madeira de álamo com qualidade de varinha é branca e refinada, e altamente valorizada por todos os fabricantes de varinhas por sua semelhança estilística com o marfim e seu charme geralmente notável. O dono adequado da varinha de álamo costuma ser um duelista talentoso, ou destinado a ser assim, pois a varinha de álamo é uma daquelas particularmente adequadas à magia marcial. Um infame e secreto clube de duelos do século XVIII, chamado The Silver Spears, tinha a fama de admitir apenas aqueles que possuíam varinhas de álamo. Na minha experiência, os proprietários destas varinhas são geralmente fortes e determinados, mais propensos do que a maioria a ser atraídos por missões e novas ordens; esta é uma varinha para os revolucionários.

Faia
A verdadeira combinação para uma varinha de faia será, se for jovem, sábia além de seus anos e, se for adulta, rica em compreensão e experiência. Varinhas de faia têm um desempenho muito fraco para os de mente estreita e intolerantes. Tais bruxos e bruxas, tendo obtido uma varinha de faia sem terem sido adequadamente combinados (ainda cobiçando esta madeira de varinha muito desejável, ricamente colorida e altamente valorizada), muitas vezes se apresentaram nas casas de sábios fabricantes de varinhas como eu, exigindo saber a razão pela falta de poder de sua linda varinha. Quando combinada adequadamente, a varinha de faia é capaz de uma sutileza e arte raramente vista em qualquer outra madeira, daí sua reputação brilhante.

Abrunheiro
Blackthorn, que é uma madeira de varinha muito incomum, tem a reputação, na minha opinião bem merecida, de ser mais adequada para um guerreiro. Isso não significa necessariamente que seu dono pratique as Artes das Trevas (embora seja inegável que aqueles que o fizerem apreciarão o poder prodigioso da varinha dessa madeira); encontram-se varinhas de abrunheiro entre os aurores, bem como entre os habitantes de Azkaban. É uma característica curiosa do arbusto de espinheiro negro, que ostenta espinhos ímpios, que produz seus frutos mais doces depois das geadas mais duras, e as varinhas feitas dessa madeira parecem precisar passar pelo perigo ou dificuldades com seus donos para se tornarem verdadeiramente coladas. Dada esta condição, a varinha de espinheiro negro se tornará tão fiel quanto se poderia desejar.

Noz preta
Menos comum que a varinha de nogueira padrão, a de nogueira preta busca um mestre dos bons instintos e uma visão poderosa. A nogueira preta é uma madeira muito bonita, mas não é a mais fácil de dominar. Ela tem uma peculiaridade pronunciada, que é que está anormalmente sintonizada com o conflito interno e perde o poder dramaticamente se seu possuidor praticar qualquer forma de auto-engano. Se a bruxa ou bruxo é incapaz ou não quer ser honesto consigo mesmo ou com os outros, a varinha muitas vezes falha em funcionar adequadamente e deve ser combinada com um novo dono se quiser recuperar sua antiga habilidade. Emparelhado com um proprietário sincero, auto-consciente, no entanto, torna-se uma das varinhas mais fiéis e impressionantes de todos, com um toque particular em todos os tipos de charme.

Cedro
Sempre que encontro alguém que carrega uma varinha de cedro, encontro força de caráter e lealdade incomum. Meu pai, Gervaise Ollivander, costumava sempre dizer: "você nunca enganará o portador de cedro", e eu concordo, a varinha de cedro encontra seu lar perfeito onde há perspicácia e percepção. No entanto, eu iria mais longe do que meu pai ao dizer que nunca conheci o dono de uma varinha de cedro que eu gostaria de encarar, especialmente se o dano é feito àqueles de quem eles gostam. A bruxa ou bruxo que é bem parecido com o cedro carrega o potencial para ser um adversário assustador, que muitas vezes vem como um choque para aqueles que os desafiaram impensadamente.

Minha varinha do Pottermore - Madeira de abeto, núcleo de penas de Fênix, 32 cm de comprimento, ligeiramente flexível.

Minha varinha do Arce Artes - Varinha de Choupo-branco, núcleo de folhas de Kappa, muito flexível e 32 cm. O Kappa é uma criatura aquática extremamente perigosa. Eles vivem em águas rasas, principalmente no Japão. Se assemelham a um macaco coberto de folhas com mãos palmadas e uma depressão cheia de água no topo da sua cabeça. A água neste buraco é a fonte da força da criatura. A tática para fugir de um ataque é fazer com que a criatura reverencie. Assim a água na cabeça se derramará, o que dará ao bruxo ou bruxa tempo para escapar antes que o Kappa recupere a força.

Minha varinha do Draco Malfoy - madeira de pilriteiro e pelo de unicórnio, exatos vinte e cinco centímetros. Razoavelmente flexível.

Bem esse foi o segundo dia do nosso #potterweek, esse tema das varinhas é bem extenso então vou dividir em duas partes, mas não se preocupem que na semana que vem já trago o restante das madeiras para vocês. Não deixem de conferir os posts da Lu no Memorialices que vai falar sobre os núcleos das varinhas e da Kammy no Secret Magic que vai falar sobre a varinha das varinhas.


Mal feito, feito!

2 comentários:

  1. Que post mais lindo, moça! Realmente, foi ótimo dividi-lo em dois, pois tem muita coisa sobre as madeiras! Bem que você disse que nossas varinhas são parecidas *-* a sua, da foto no topo, é linda! Ainda quero pedir para fazer uma minha igual ao do Pottermore, e também fazer uma eu mesma (mas essa eu pretendo usar para outros fins que não só o item da coleção haha). Estou ansiosa para saber dos outros tipos de madeira, e também para saber mais sobre a Varinha das Varinhas <3

    ResponderExcluir
  2. Como eu disse parece que o pottermore só tem alguns modelos de varinhas hahaha eu sou apaixonada por essa que encomendei com o Thiago pois me lembrar muito a do Valdemort, quero outras também para aumentar minha coleção.

    ResponderExcluir