Potterweek #5: A Magia Nunca Morre

31/07/2018
"Pode se encontrar a felicidade mesmo nas horas mais sombrias, se a pessoa se lembrar de acender a luz." - Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
Cronologicamente falando Harry Potter se encerrou no dia 01 de setembro de 2017, que é quando o epilogo de 19 anos depois da segunda guerra bruxa em Harry Potter e as Relíquias da Morte se passa, mas para nós fãs, a magia nunca morre. Nunca parei para pensar em como seria depois do fim dessa aventura que tanto mudou minha vida, afinal J. K. Rowling faz questão de nos alegrar ao longo dos anos com seus contos e novidades sobre esse universo em seu site oficial da saga, o Pottermore. Lembro-me de cada ano em seu twitter onde ela nos dizia para que casa os filhos de Harry, Rony, Hermione e Draco iam assim que chegavam em Hogwarts, quais laços se formavam e claro nos lembrava a cada ano do aniversário de cada personagem, incluindo o de hoje.

Godric's Hollow, 31 de julho de 1980.
Ali nascia Harry James Potter, o menino da profecia. O menino que sobreviveu. Filho único de James Potter e Lílian Evans Potter, considerado um dos mais famosos feiticeiros dos tempos modernos. Ele também foi um dos alunos mais famosos da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts de seu tempo. É conhecido no mundo bruxo por ser o único sobrevivente da Maldição da Morte (Avada Kedavra), quando Lord Voldemort tentou assassiná-lo ainda bebê.

Ao fim da Primeira Guerra Bruxa, Harry foi morar com seus parentes trouxas, os Dursley, e viveu maltratado e incompreendido, sem qualquer fonte de conexão com o mundo bruxo até os 11 anos, quando Rúbeo Hagrid lhe contou que seus pais e ele eram bruxos, e ele passou a frequentar a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. A característica física mais notável de Harry é a cicatriz em forma de raio em sua testa, que lhe foi dada ao receber a maldição que deveria tê-lo matado.

Yate - Reino Unido, 31 de julho de 1965.
Ali nascia Joanne Rowling que encantaria o mundo com suas palavras e que ao tentar se reerguer na vida mudaria muitas outras vidas com suas histórias. Rowling teve a ideia de escrever a série enquanto estava num trem indo de Manchester para Londres, em 1990. Em um período de sete anos, Rowling vivenciou a morte de sua mãe, o nascimento de sua primeira filha, seu divórcio com seu primeiro marido e uma crise financeira pessoal até que, em 1997, finalizou o primeiro dos sete livros da série, Harry Potter e a Pedra Filosofal e o último, Harry Potter e as Relíquias da Morte, em 2007. Desde então, Rowling já escreveu quatro livros para o público adulto, Morte Súbita (2012) e, sob o pseudônimo de Robert Galbraith, O Chamado do Cuco (2013), precedido por O Bicho-da-Seda (2014) e Vocação Para o Mal (2015). E se dedica aos roteiro de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada e dos filmes de Animais Fantásticos e Onde Habitam.

Com o passar dos anos aprendi a sempre ter Harry Potter ao meu lado e ao meu alcance, pois sei que Hogwarts sempre estará ali para quem precisar dela.
"A verdade é uma coisa bela e terrível, e portanto deve ser tratada com grande cautela." - Harry Potter e a Pedra Filosofal
A verdade é que eu não saberia dizer adeus a essa história que tanto me cativa, que tanto me inspira e que em dias difíceis me mantem em pé. Eu sei que muitos pensam que Harry Potter é coisa para criança, mas sinceramente eu não ligo, afinal cada um tem aquela história que mudou sua vida como eu disse no primeiro post do Potterweek.
"O que importa é o grau de comprometimento envolvido numa causa, e não o número de seguidores!" - Harry Potter e as Reliquias da Morte
Digo sempre que Harry Potter é uma história que levarei para meus netos e percebo que não sou a unica, a cada ano que passa percebo mais fãs se aprochegando e sorrio ao ver a expressão impressionada de minha mãe ao perceber que os fãs da saga já estão chegando perto dos trinta, assim como eu - risos a parte - mas eu digo para ela "mãe o que você esperava, Harry Potter é antigo, assim como seus discípulos.
"Quando eu tiver 80 anos e estiver sentado na minha cadeira de balanço, vou ler Harry Potter", diz o cartão de citações. "E minha família me dirá: 'Depois de todo esse tempo?' E eu direi "sempre". - Alan Rickman (Severo Snape)
O potterweek chegou ao fim, o primeiro de muitos assim espero, fiquei muito feliz de ter feito parte dessa semana tão especial tanto para mim, quanto para todos os fãs de Harry Potter, espero que tenham gostado dos posts - lembrando que todos podem acessar aos posts do projeto pela aba lateral do blog quando quiserem -, espero que tenham se sentido tão livres e extasiados como eu me senti nesses dias. Faço minhas as palavras do Alan, Harry Potter para sempre e sempre.

Não deixem de visitar os blogs da Lu o Memorialices e da Kammy o Secret Magic que me acompanharam nessa jornada de uma semana maravilhosa. Lembrem-se que a luz vem de dentro e quando tudo parecer perdido recite um Expecto Patronum o mais alto que puder. Vejo vocês na próxima.

Mal feito, feito!

2 comentários:

  1. Que post maravilhoso, moça! Eu amo ler essas informações, e viajei (literalmente) com essa pequena trajetória da vida do Harry e da J.K. *-* Como você disse, a magia nunca tem fim, é uma história atemporal e linda!
    Já vi numa entrevista a autora dizendo que, se ela quisesse, poderia escrever mais livros porque ela sabe exatamente tudo que aconteceu e está acontecendo. Ainda há esperança hehe (sorry mas não considero A Criança Amaldiçoada uma "continuação").
    Ah, se quiser fazer mais posts em setembro, estava pensando em chamar mais duas amigas blogueiras, cada uma de uma casa, para fazer posts! Eu até tenho uma ideia de post em mente que poderia render uma pequena guerra hahaha.
    beijos.

    ResponderExcluir
  2. Eu também não considero A Criança Amaldiçoada como continuação, mas tamo ai né hahah é claro que quero participar desse projeto de setembro já pode contar comigo.

    ResponderExcluir