"Sou apenas mais uma alma em busca de um lugar no mundo, se corro atras desse espaço já é outra conversa, acredito que no fundo somos todos do tipo que sonhamos alto mas não tiramos os pés do chão como se a menor menção de mudança drástica fosse pré requisito para decepção ou desastre, ah! como somos ingênuos presos em nossas pequenas bolas de cristais sem ao menos saborear os raios de sol que saem lá fora, sem sentir na pele aquela brisa que surge nos fins de tarde de outono ou ao menos sem nos permitir sentir o cheiro das flores no desabrochar da primavera. Sou feito furacão sempre carregando no peito uma tempestade. Me fiz chuva. Me fiz verão. Me fiz os dias cinzas e bani as cores, ah! quanta bobagem não nasci para viver em preto e branco, nasci para viver em aquarela, distribuída em tons pasteis pelo papel, mas o fiz?? Não, claro que não. Escrevo porque ninguém me ouve, nas tuas entrelinhas me criei, tornei-me poesia e você não soube ler, de tanto ouvi que tudo era questão de tempo cheguei a conclusão que o tempo era a questão de tudo, no fundo tornei-me alguém com planetas na cabeça e constelações no estômago, fiz de mim Ventos de Maio.”

Prazer Luciana, 25 outonos, técnica de enfermagem formada mas não praticante. Estudante de Publicidade e Propaganda. Futura cineastra. Ilustradora. Letterer. Bookaholic. Cinéfila. Viciada em séries de muita fantasia. Potterhead. Shadowhunter. Uma romântica incurável, que acredita que a vida poderia bem ser uma comedia romântica e que o mundo seria mais legal com seres sobrenaturais. Amante de Lettering, Tipografia e Caligrafia.

Seja bem vindo (a) a Maio, não se preocupe meus ventos só te levarão se você permitir.


Share
Tweet
Pin
Share

@tiposdalu