Me Perdi e Não Quero Mais Voltar

28/08/2019

A verdade é que não sei mais quem eu sou.

Logo eu uma pessoa tão decidida. Tentei ser tanto o que queriam que me perdi em meio a emaranhados de máscaras e sorrisos falsos, demorei para perceber que não servia para levar uma vida falsa. Tarde demais…talvez. Sinto que não tenho mais tempo para estar perdida, o tempo está correndo e me sinto ficando para trás em todos os sentidos. Estou sozinha. No escuro. Sufocando. 

Quanto mais tento preencher mais vazio vai ficando. 

Quanto mais me dizem que não tenho idade para isso mais presa em mim me sinto. É como se o mundo estivesse me calando. Ele está. Sinto que não posso confiar em ninguém. Não devo. Nem ao menos em eu mesma, não sirvo mais pra isso. Quanto mais eu tento seguir em frente, mais tenho convicção de que estou fazendo tudo errado, de que não estou na caminho certo e de que tudo que tenho planejado em mente não passarão de sonhos não realizados num futuro não muito distante. 

Estou ausente de mim já faz um tempo. Meses. A verdade é que ainda não me recuperei daquela etapa em que tudo parecia o fim para mim, aqui dentro algo mudou profundamente e não me sinto mais a mesma. Algumas coisas nunca superamos, acredite. Algumas cicatrizes são para sempre. E sempre. Se sentir sozinha e solitária é um caminho sem volta, quanto mais caminho para o vazio mais tenho certeza que estou indo em direção ao abismo que me tornei. Frio e sem fim. Tenho saudades de mim, de um “eu” que não voltarei mais a ser. No fim tudo não passa de mera melancolia, ou apenas de palavras jogadas a esmo na madrugada. 

A verdade? Me perdi e não quero mais voltar.

Me sinto vagando por um vale sombrio em direção ao nada. Esses últimos dias tem sido confusos e pesados, sinto um fardo que não deveria sentir, um fardo que não me pertence. A verdade é que tenho medo de continuar, e tenho medo de mudar, já me perdi de mim tantas vezes que na última não encontrei boa parte, fragmentei-me tanto que me senti reduzida a pó. Como reinventar-se? Como se reencontrar? Essas são perguntas que andam pairando sobre mim como a lua no céu. 

Descobrir quem sou tornou-se mais difícil, para não dizer impossível. Eles me usaram novamente e eu deixei. Acreditei que dessa vez poderia ser diferente, mas é hora de entender que as pessoas são o que são e sempre serão. Meros nadas infelizes que acordam todas as manhãs para te desprezar, te fazer infeliz. E eu deixei.

0 comentários:

Postar um comentário